MOTEL

Depois de uma churrascada noturna, resolvemos eu e minha esposa, irmos a um motel em Fortaleza/CE

Será que não é comum o marido e a esposa irem a um motel? Parece que não.

Claro e evidente que não narrarei como foi nossa madrugada no motel, que foi maravilhosa, mas começarei contando pelo café da manhã, para pelo menos ter uma “comida” na história.

Farto café da manhã com frutas, ovos, presuntos e queijos. Comemos insaciavelmente, deixamos apenas um pedaço de melancia, quando peguei o interfone e pedi a conta.

Fiz um cheque e depois de alguns minutos,o funcionário do motel veio com a resposta de que não poderia aceitar meu cheque, pois havia constatado outros cheques devolvidos e que meu nome estava no SERASA. Perguntei: O que vamos fazer então? Ficaremos aprisionados neste recanto do amor?

O funcionário respondeu que poderia deixar o celular ou alguém ir até o banco 24 horas ou usar o cartão de crédito.

  • Só tenho o cheque.
  • Não posso fazer nada.

Se ele não podia fazer nada, nós poderíamos fazer tudo, mas pensando melhor é claro que pensamos em nossas filhas. O que seriam delas sem a nossa presença, sem ter alguém para dar-lhes educação? Afinal, a vida não é só sexo.

Ele devolveu meu documento e meu cheque. Só aceitei o meu documento. Comuniquei ao funcionário que estava saindo e que ele tomasse as medidas cabíveis. Ele não tomou nenhuma medida.

Fui barrado na saída por um outro funcionário e lá fiquei discutindo. Notem meus caros leitores que ninguém poderia sair do motel,meu carro estava obstruindo a saída.

Acho que esses funcionários estavam imaginando que éramos amantes e não marido e esposa. Na verdade éramos os dois. Tomei uma atitude radical:

  • Existe um aviso na entrada “Não aceitamos cheque”?
  • Mas nós aceitamos.
  • Tudo bem. Existe algum aviso que “Aceitamos cheques mediante consultas”?

O funcionário ficou calado. Foi aí que dei o golpe fatal. Falei para minha esposa em alto e bom som. Meu bem, ligue para a policia.

  • Não precisa chegar ao extremo, senhor.

Insisti com minha esposa. Pode ligar.

Fiquei imaginando a policia chegar ao motel juntamente com a imprensa. Maridos traindo esposas e vice-versa, turismo sexual, menores em motel e por aí vai… Assunto na TV e jornais para a semana inteira.Manchetes em jornais. “MOTEL HAVIA MAIS MENORES QUE ADULTOS”, “MARIDO E MULHER DISCRIMINADOS EM MOTEL”, “BANCÁRIO TENTANDO PASSAR CHEQUE SEM FUNDOS”, “CLIENTES QUERENDO SAIR ESCONDIDOS DO MOTEL – SAÍDA OBSTRUÍDA”.

Quando que num passe de mágica, o funcionário depois de entrar em contato com o dono do motel e seu advogado decidiu aceitar meu lindo cheque de valor irrisório.

Entrei no carro, dei a partida e saí feliz da vida com mais um dia inesquecível.

O cheque foi compensado normalmente. Havia fundos!!!!!

(Esta crônica foi feita em 2005 e publicada no livro “Crônicas em estado crônico III” em 2006)

Publicado por Nelson Faria

Eu sou o que sou, porque faço da minha maneira. Simples assim. Sem prejudicar ninguém e amando todos, independente de raça e religião. Palmeirense de coração.

2 comentários em “MOTEL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: