ACREDITA NO DESTINO?

Campos do Jordão, município na Serra da Mantiqueira no estado de São Paulo. Arquitetura de estilo Suíço. Florestas e montanhas. É uma cidade sofisticada e requintada e com muitos eventos.

Alguns lugares são pontos obrigatórios, como por exemplo, o teleférico, com suas cadeiras coloridas que proporcionam uma visão aérea do centro turístico da cidade.

A subida pelo teleférico leva ao Morro dos Elefantes. A montanha recebe este nome por conta do formato que se assemelha com o contorno de um elefante. Lá em cima tem o mirante que se pode ver toda a beleza da Vila Capivari, e as belas montanhas que compõe o cenário da cidade.

Aqui começa a nossa história.

Um jovem, paulistano de 20 anos, em férias, depois de visitar o mirante, desce pelo teleférico para Vila Capivari e no meio do caminho, subindo pelo teleférico, uma moça muito bonita de olhos verdes, mexicana de 18 anos, filha de pai mexicano e mãe brasileira.

Os dois se entreolham e uma coisa inexplicável acontece. Os dois corações batem mais fortes.

O rapaz chega ao seu destino final e fica aguardando por várias horas a chegada daquela que para ele era uma musa.

Finalmente ela chega ao seu destino e fica sem reação, mas ao mesmo tempo, alegre por encontrar com o rapaz.

Eles se apresentam e partir daí um longo papo rola.

Ele em férias e ela para tratamento nesta cidade por indicação do seu médico.

Embora ele perguntasse sobre o tal tratamento médico, ela sempre se esquivava e dizia para aproveitar aqueles momentos que para ela era um conto de fadas e logo acabaria porque ela precisaria voltar para o México. Ela o chamava de príncipe e ele a chamava de princesa.

Esses dias, eles viveram como um conto de fadas e sempre achando que tudo acabaria bem como em todos os contos.

Último dia dela na cidade e apesar de estarem vivendo um conto de fadas, ele não sabia nada sobre ela, nem endereço e nem telefone e ela sempre dizia, vamos aproveitar esses belos momentos que o destino vai nos unir, para que tanta pressa?

Como era o último dia, ela lhe entregou um bilhete dizendo para abri-lo só no primeiro dia do ano. Ainda estava no dia 29 de dezembro.

E foi isso que aconteceu.

Na noite de 31 de dezembro quando ela já estava no México e ele em São Paulo, curioso para abrir o bilhete, numa noite quente de verão, céu estrelado e muito propício para o amor, esperando chegar o dia primeiro, pensando que naquele bilhete estaria o telefone e o seu endereço em alguma rede social, para enfim se comunicarem e relembrar todo aquele conto de fadas e fazerem outros contos, ele, com os fogos anunciando o ano novo que chegava, abre o bilhete e lê:

Meu príncipe, o que aconteceu entre nós, não foi apenas um amor de verão. Foi um amor eterno. Não consegui falar toda a verdade em nosso encontro, senão seria muito doído e não iríamos aproveitar todos os belos momentos. Tenho uma doença grave e em fase terminal que infelizmente a medicina não descobriu. Tenho mais alguns meses de vida, talvez 1 ano, mas morrerei contente com tudo isto que vivi a seu lado.

Quero que em nome do nosso amor, você viva feliz e procure alguém que te ama, assim como eu te amei.

Não sabemos o destino, mas quem sabe um dia….

Assim terminou o bilhete.

Para ele, foi como uma ducha de água fria. Toda a espera e todo o encanto se foram por água abaixo. Foi o pior ano novo que tivera.

Passaram se muitos anos e ele agora casado e com uma filha de 16 anos, iriam passar as férias no México a pedido da filha e esposa.

Num passeio em Xochimilco, onde tem as traquineiras, embarcações enfeitadas e um lugar exótico, existe um canal navegável, onde as famílias alugam esses barcos para comemorações e então, turistas e locais se misturam. Ele avista uma outra embarcação com bandeiras do Brasil, cantando músicas brasileiras no lado contrário. E os olhos se cruzam numa jovem que fez relembrar o teleférico em Campos do Jordão. Algo estranho aconteceu que seu coração disparou.

No outro dia eles foram conhecer a Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe. Enquanto ele e esposa estavam dentro da Basílica, sua filha estava do lado de fora, tirando fotos, quando uma moça se aproxima e falando em português, se oferece para tirar a foto dela de frente para a Basílica. Ela aceita e faz amizade com esta moça e marcam um encontro para o dia seguinte.

A noite no hotel, a filha do casal conversa com a mãe sobre o encontro com a moça. Conversam por muito tempo e no dia seguinte, só mãe e filha vão ao shopping para fazer compras e encontrar com a tal moça da Basílica.

As três conversam animadamente numa praça de alimentação do shopping.

No dia seguinte, o casal e sua filha foram conhecer as pirâmides em Teotihuacán. Uma em particular chamou a atenção dele, por sua beleza e magia.

A Pirâmide do Sol, que é a terceira maior do mundo, possui 5 plataformas e muitos degraus que levam ao topo onde, antigamente, sabe-se da existência de um templo de madeira que era utilizada para sacrifícios e oferendas aos deuses.

Enquanto a pirâmide da Lua suga as suas energias, a do Sol revigora.

O “príncipe” quis subir todos os degraus da Pirâmide do Sol, até o topo, mas sua mulher, conforme o combinado com a filha, disse para os dois subirem que ela ficaria embaixo visitando os artesanatos.

Assim foi feito. Quando eles estavam chegando perto do topo, viram várias pessoas levantando as mãos para o céu como forma de agradecer aos deuses e antes de chegarem ao topo, ele avista a moça das traquineiras e antes de falar alguma coisa, sua filha apresenta a moça.

– Pai, está é Guadalupe, minha irmã que conheci aqui no México.

O “príncipe” sem entender nada, ficou sem reação e a moça entrega uma foto para ele que era dele mesmo e que ao fundo aparecia o teleférico de Campos do Jordão. Atrás da foto dizia, com a mesma letra que ele já conhecia. “Minha querida filha, se você acreditar no destino, entregue esta foto ao seu pai, que foi o único homem que conheci e amei na vida. Ele foi meu príncipe encantado.

 Pai e filhas se abraçam e choram e vão ao topo agradecer aos deuses.

Publicado por Nelson Faria

Eu sou o que sou, porque faço da minha maneira. Simples assim. Sem prejudicar ninguém e amando todos, independente de raça e religião. Palmeirense de coração.

2 comentários em “ACREDITA NO DESTINO?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: